7 de mai de 2010

II Convenção Estadual do Movimento Negro




O Movimento Negro do PMDB/RS realiza no próximo sábado, 15 de maio, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, das 8h30 às 14h, sua segunda Convenção Estadual. No evento será eleita a nova executiva do núcleo, que será válida pelo período de dois anos.

A inscrição de chama se encerra nesta quarta-feira, 12, conforme regulamento elaborado e publicado no dia 8 de maio, junto à comissão executiva estadual do Movimento Negro.
EDITAL
O Movimento Negro do PMDB do Estado do Rio Grande do Sul, de acordo com as atribuições que lhe cabe, CONVOCA os filiados com direito a voto do referido Órgão de Cooperação Partidária para a II Convenção Estadual, a realizar-se:
Dia: 15 de maio de 2010 Hora: 8 horas e 30 minutos
Local: Plenarinho da Assembleia Legislativa, 3º andar
Endereço: Praça da Matriz, s/nº
PAUTA
1 - Eleição dos Membros Titulares e Suplentes:
a) Do Diretório Estadul;
b) Do Conselho Fiscal;
c) Da Comissão de Ética;
d) Dos Delegados à Convenção Nacional.
2 - Apresentação e aprovação das Diretrizes Programáticas do Reparações 15
3 - Assuntos gerais.
_____________________________________________________________________________________

Mulheres No Poder


_______________________________________________________
Giacomazzi: O maior líder político da história de Canoas
Na madrugada do último dia 06, o PMDB perdeu um de seus ícones: Carlos Loureno Giacomazzi, falecido aos 79 anos. Podemos dizer, sem receio algum, que a política do Rio Grande do Sul perdeu uma liderança que marcou época por sua coragem, inteligência, integridade, e credibilidade. Canoas, terra que ele escolheu para viver, perdeu, assim, a sua maior liderança política de todos os tempos.
Carlos Giacomazzi, empresário, concorreu a prefeito pelo MDB em 1968. Venceu, mas não assumiu. Um ato covarde do regime militar transformou Canoas em Área de Segurança Nacional, impedindo-lhe a posse uma semana antes do início do mandato. Em seu lugar, a ditadura nomeou Hugo Simões Lagranha. Quase vinte anos foram necessários para que, enfim, a luta pelo retorno das eleições diretas fosse vitoriosa. Mais vitorioso ainda foi Giacomazzi, mais uma vez eleito pelo povo canoense.
Entre as duas eleições para prefeito que disputou, e venceu, Giacomazzi foi eleito deputado estadual quatro vezes (1970, 74, 78 e 82). Ao lado de Brossard e Simon, lutou de forma brilhante contra as injustiças sociais, contra a tortura, e em favor da constituinte e em favor das eleições diretas. Presidiu a Assembléia Legislativa entre 1979 e 1980, chegando a ser governador interino do estado. Na ocasião, teve destacada atuação na investigação do seqüestro dos uruguaios Lilian Celiberti e Universindo Dias.
Como a história da luta contra a ditadura militar em Canoas ainda não recebeu a atenção merecida, com o tempo a trajetória política de Giacomazzi foi sendo omitida nas publicações de uma pretensa história oficial da cidade. No seu lugar, colocaram alguns ícones forjados na repressão e na censura. No entanto, a História ainda fará justiça à memória de uma das figuras mais respeitáveis da política gaúcha.
Para os jovens, de várias gerações, Carlos Giacomazzi foi um exemplo real de como é possível fazer política com honestidade. Sua ética, sua seriedade, seu jeito calmo e ao mesmo tempo firme como uma rocha, foram características que lhe acompanharam em toda sua vida, acompanhadas por um profundo amor por Canoas, por seu único partido, o PMDB, pela democracia e pela liberdade. Ele acreditava que os jovens deveriam iniciar a construção de uma sociedade melhor através da política. E foi assim, com a dignidade dos mais nobres e a humildade dos sábios, que Carlos Giacomazzi forneceu seu próprio exemplo para a realização dessa tarefa tão difícil e necessária.
Douglas Angeli – Presidente da JPMDB Canoas.






07/05/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário