4 de jul de 2011

Mendes Ribeiro líder do governo

Notícias - Veículo: Jornal do Comércio--- Segunda-feira, 04 de julho de 2011


Mendes Ribeiro líder do governo
A presidente Dilma Rousseff (PT) escolheu o deputado Mendes Ribeiro Filho (PMDB-RS) para ser o líder do governo no Congresso. Um dos articuladores da campanha de Dilma para a presidência, Mendes Ribeiro estava cotado para um cargo no governo desde a vitória da petista. Já esteve no páreo para o Ministério da Agricultura e para a Secretaria de Relações Institucionais. “O PMDB é o maior partido no Congresso e a presidente Dilma conhece muito bem o deputado Mendes Ribeiro”, afirmou o líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN).
Ouvir e trabalhar
“Ouvir, ouvir, ouvir e trabalhar, trabalhar, trabalhar.” Assim o novo líder do governo no Congresso Nacional, Mendes Ribeiro Filho, resumiu as prioridades e os desafios do novo cargo. Segundo ele, o trabalho vai ser de “desarmar espíritos e fazer o que é preciso para o Brasil”. Sobre as especulações, o deputado foi sucinto. “Eu fiquei quietinho e esperei. Tive paciência”.


Criar o clima
Mendes Ribeiro Filho já começa com muito trabalho. Para começar, os parlamentares querem a liberação de emendas parlamentares contingenciadas. Só no orçamento de 2011, são R$ 3 bilhões. O governo já liberou os restos a pagar de 2009, mas anunciou que não vai liberar recursos de emendas parlamentares até setembro. “Tem que criar o clima”, afirmou Mendes. Com o corte de R$ 50 bilhões e as eleições municipais de 2012 chegando, vai ser difícil criar o clima na base aliada

Os desafios do novo líder
O parlamentar gaúcho assume a liderança do governo num momento delicado nas relações entre Congresso e o Palácio do Planalto. É preciso auxiliar a ministra Ideli Salvatti (PT), das Relações Institucionais, na articulação. E além da liberação das emendas parlamentares, outra questão urgente são as nomeações para o segundo e terceiro escalões com os nomes oferecidos pelos aliados do governo. Ele terá que trabalhar para a construção de uma parceria de resultados, sem comprometer o projeto de austeridade financeira da presidente Dilma. Será muito difícil segurar o apetite dos aliados. Mas o parlamentar gaúcho tem todas as qualidades: sabe ouvir, sabe costurar acordos e é bom de tribuna.

Poder equivalente ao dever
A base aliada vê com esperança a escolha de Mendes Ribeiro Filho para a liderança do governo no Congresso. “A presidente Dilma começa a ver que a base tem mais partidos que o PT”, afirmou o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS). Para ele, antes da escolha do líder, havia “uma base heterogênea e um governo homogêneo”. Mas ele admite que não será fácil. “O líder do governo precisa de um poder equivalente ao dever. Se ele não tiver isso, será desmoralizado.”
Outros nomes
Apesar de ter sido citado várias vezes, Mendes Ribeiro Filho não foi o único cotado para o cargo. Um dos nomes que surgiram para a liderança foi o do deputado Pepe Vargas (PT-RS). Ele negou qualquer movimentação do seu partido para emplacá-lo. E apoia Mendes. “É um bom nome, não temos restrição”.
* Edgar Lisboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário