1 de jul de 2013

Reflexão Peemedebista

A voz que surge das ruas tem servido de reflexão para militantes e dirigentes do PMDB gaúcho. Por onde o partido se reúne, debate profundamente a onda de protestos em todo o País. E mais do que isso, avalia criticamente a sua própria atuação política e partidária com o objetivo de identificar falhas, superar desafios, e estar cada vez mais próximo de sua característica histórica. Não podemos esquecer que em plena Ditadura Militar – num período difícil da nossa história em que as liberdades eram cerceadas e o direito de dizer o que se pensa proibido – o Movimento Democrático Brasileiro se tornou no único canal de expressão popular, representando a voz de todos os brasileiros. E certamente, conquistou esse protagonismo porque soube lutar pacificamente, tendo como arma a apresentação de ideias claras em defesa de todos.Mas obviamente que não cabe, neste momento, apenas apontar aquilo que construirmos no passado, embora tão recente. O importante desta autocrítica é saber se hoje o PMDB está fazendo pela a sociedade tudo o que poderia. Se esta dando toda a contribuição que lhe cabe. Numa análise imediata, é possível dizer que o PMDB está atento e sensível à movimentação das ruas e a tudo aquilo que está sendo reivindicado. A derrubada da PEC 37, que limitava o poder de investigação do Ministério Público, teve apoio unânime de toda a bancada do PMDB na Câmara dos Deputados por entender o clamor das ruas. A aprovação de 75% dos recursos advindos dos royalties do petróleo para educação e 25% para saúde também é outra vitória que, sem o PMDB, nem ao menos estaria sendo discutida. A garantia de mais de R$ 500 milhões por ano para o Estado e municípios gaúchos através de recursos dos royalties é uma vitória de todos, conquistada por atuação do PMDB, alavancada pela Emenda Ibsen, que tem como autor o ex-presidente da Câmara, Ibsen Pinheiro, peemedebista que recentemente comandou a legenda no Rio Grande do Sul. Estes são alguns dos caminhos positivos que estamos tomando. Algumas das bandeiras que estão sendo erguidas. Porém, a estrada é longa. O PMDB, como um grande partido político, tem um dever ainda maior para com o povo brasileiro e gaúcho, especialmente nas reformas estruturais tão necessárias, como a política e a tributária.Por isso, quando cada militante e dirigente é convidado para debater, como agora com a série “O PMDB QUE EU QUERO”, é importante ouvir o chamado, participar, opinar e fazer a diferença. O Brasil que queremos depende da participação ou protagonismo de cada um de nós. -

Nenhum comentário:

Postar um comentário